jun 18 2010

AMADORES E PROFISSIONAIS

Postado por at 07:05 sob Uncategorized

Segundo a grande imprensa, a previdência é deficitária. É que eles somam apenas as contribuições de empregados e empregadores, e não as demais destinações que compõem o orçamento da seguridade social. Esse discurso prepara outro: o de que é preciso diminuir o valor das aposentadorias e, principalmente, o de que é preciso privatizar a previdência.

II
Daí o esforço da imprensa no sentido de impedir a aprovação dos 7,74% de reajuste nas aposentadorias. De alguma forma, precisam manter o seu discurso do dito déficit previdenciário.

III
Aí entra outro ponto que já tocamos aqui. A oposição está desarticulada e sem discurso. Na falta da oposição, a imprensa resolveu assumir esse lugar. Só que o baronato da imprensa não é exatamente especialista em fazer política de massas. Então, consegue impor sua vontade, seus discursos, contratando seus comentaristas de sempre, mas não consegue manipular tudo o tempo todo.

IV
Foi a grande imprensa que inventou diversos “escândalos”, jogando a oposição em situação constrangedora. A imprensa pautava, a oposição vinha atrás, o tema não vingava. Isso desde a compra da tapioca com cartão corporativo até o último, agora, o do tal dossiê. Dois dados, a propósito: o primeiro, que segundo pesquisas feitas na época dos “aloprados”, a imensa, a maioria absoluta do povo brasileiro achava que dossiê era um tipo de doce. Sério. Agora, na atual “crise”, o Noblat faz mais uma das suas enquetes. O público do Noblat é essencialmente conservador. No resultado, 61% dos que responderam aprovam o uso de informações verdadeiras contra os adversários; 12,6% desaprova o uso de informações falsas; e apenas 22,6% é contra o uso de qualquer informação, verdadeira ou falsa, que enlameie candidatos. Ou seja, o povo quer saber se é verdade ou se é mentira, não quer saber se é ou não dossiê ou pasta.

V
Já comentei aqui, em outra oportunidade: a imprensa pautou a oposição, e pautou mal. No caso do pré-sal, parte da oposição se viu obrigada a assumir a camisa de antinacional. No caso da crise de 2008, então, a imprensa ficou atônita, dando tiros para tudo que é lado. Agora, mais recentemente, resolve criticar posições do Brasil nas negociações internacionais, assumindo claramente uma postura pró-EUA. O que se conclui é: quem sabe fazer política é a oposição, não a imprensa. Quando a imprensa se substitui à oposição, passa a levantar bandeiras que comprometem a própria oposição.

VI
No caso do reajuste das aposentadorias, só os muito ingênuos não viram. Lula deixou a imprensa gritar, deixou a imprensa propagandear uma posição contra os aposentados. Quando isso ficou bem claro para a população, quando ficou bem claro de que lado estava a imprensa, Lula não vetou. Aprovou o reajuste. Como dito antes, política é para políticos, sejam da oposição, sejam da situação. Quando a imprensa se mete a fazer política diretamente, dá nisso: conseguiu fazer um fundo de contraste maravilhoso para que Lula posasse de grande defensor dos aposentados, enfrentando toda a imprensa! É a diferença entre amadores e profissionais.

7 respostas até o momento

7 Respostas em “AMADORES E PROFISSIONAIS”

  1. Petraem 18 jun 2010 �s 08:00

    Bom dia , Dr. Maia !
    É , pelo visto eu faço parte do grupo dos ingênuos , mas tudo bem , nada contra .
    Vamos para a crônica de Veríssimo de hoje ;

    ” Tentar esquecer ”

    Ele diz que se chama Bafana , mas deve ser brincadeira . É um simpático motorista de táxi que tem nos levado algumas vezes até o Mandela Square , ligado ao shoping center mais próximo do hotel . No outro dia , ele nos disse que admira muito o Mandela e principalmente sua mensagem de reconciliação . O que o Mandela nos pede , disse o Bafana , é tentar esquecer . A relativa paz social que se vê por aqui ( pelo menos nessa limitada experiência , sempre levando em conta que os shopping centers de todo o mundo formam uma só cidade , com sua própria cultura e sua própria arquitetura , que pouco tem a ver com a realidade lá fora ) depende da disposição dos negros de esquecer os anos de discriminação oficial e violência . Ou tentar esquecer . Não deve ser fácil . Imagino que a coincidência da injustiça cometida contra o time da África do Sul no jogo contra o Uruguai , quando o juiz deu aquele pênalti no goleiro e o expulsou ( o lance começou com um uruguaio impedido e o pênalti foi discutível ) , justamente no dia em que se comemorava o levante e o massacre de Soweto em 1976 não passou desapercebida . Não foi o juiz Massimo Busacca , suíço e extremamente branco , que derrotou os africanos , claro , foi o Forlán . Mas a injustiça evocativa de outros tempos e a coincidência existiram . Dizem que o conflito mais potencialmente explosivo na África do Sul hoje não é entre os brancos irreconciliáveis e os negros . É entre os negros irreconciliáveis e os negros que tentam esquecer . Por mais difícil que seja .
    O pior da derrota da Nigéria para a Grécia , ontem , é que praticamente tira da Copa uma das suas melhores figuras , o goleiro Vincent Enyeama , que já tinha brilhado contra a Argentina e ontem brilhou de novo , e só não segurou o empate para o seu time porque entrou para a confraria dos traídos pela bola esquisita , no segundo gol dos gregos . Antes , a Argentina , com seus baixinhos elétricos e seu centroavante decisivo , Gonzalo Higuaín , tinha feito quatro na Corei do Sul ( três de Higuain ) e a melhor apresentação de um time nesta Copa depois da estréia da Alemanha . Duro vai ser aguentar o Maradona triunfante , se continuar deste jeito .
    Voce deve estar notando aí a qualidade da cobertura dos jogos da Copa pela TV daqui . Clara , ágil e dramática , com sua ênfase em closes dos jogadores e uso cinematográfico da câmera lenta . Grande estilo .
    Depois de Brasil X Coreia do Norte escrevi que os assuntos mais comentados aqui tinham sido o frio , o casacão do Dunga e os gols do maicon e do Robinho . O segundo gol não foi do Robinho , que deu o passe . Foi do Elano . É que eu ainda estava com o cérebro congelado .

    ___________________________________________________________________

    Depois que tirei meu plantão da madrugada ( como tem acontecido todas as noites passadas ) voltei para a cama e passei a assistir a história de Nelson Mandela que passava no canal do GNT , fiquei tão impressionada com toda a história deste homem que acabei sonhando com estes tempos , impressionante a força de vontade deste homem e a sua capacidade de perdoar .
    Linda e triste história , quem puder assistir as reapresentações , não percam .
    Abraços e beijinhos carinhosos recheados de muita saúde , e paz !!!!

  2. carlos irmãoem 18 jun 2010 �s 10:03

    Dr. Maia, o senhor tem razão. Lula esperou até os 45 minutos do segundo tempo para decidir. De bobo ele não tem nada, é muito sagaz. Saiu como o grande defensor dos aposentados, quando na realidade, se fosse pela razão ele não teria autorizado o reajuste.
    Não podemos esquecer que estamos em ano eleitoral.
    Tenho perguntado se não é o momento de voltarmos a pressão sobre o nosso caso???

  3. Petraem 18 jun 2010 �s 10:17

    Faltaram as colunas de Luiz Garcia e Nelson Motta do Globo de hoje ;

    ___________________________________________________________________

    ” Sem os donos da casa ”

    Todo mundo sabia que a África do Sul não iria muito longe na Copa do Mundo . A derrota de quarta-feira para o Uruguai confirmou o que se esperava – mas duvido que até o mais frio analista ( e temos na mídia analistas em todos os graus do termômetro ) não tenha lamentado , pelo menos um pouquinho , a derrota de quarta-feira para os uruguaios , que praticamente tirou da disputa o time das benditas vuvuzelas .
    Para o cidadão mais importante do país , o ex-presidente Nelson Mandela , ainda foi alguma tristeza em cima de tristeza maior : ele não fora ao jogo porque chorava em casa a morte , num estúpido acidente de carro , de uma bisneta de 13 anos .
    Num momento assim , quase que dá para se dizer : abaixo a realidade , viva a literatura , viva o cinema . Poucos anos atrás , o ator e diretor Clint Eastwood fez um belo filme sobre Mandela . Também com esporte no meio : no caso , o rugby , um dos poucos presentes que os colonizadores ingleses deram à África do Sul . No filme , opera-se um quase milagre : o time sul-africano , formado exclusivamente por brancos , conquista o título mundial . O mais importante é que graças ao apoio de Mandela – vivido por Morgan Freeman , que , podem acreditar , parece-se mais com Mandela do que o próprio – a vitória é compartilhada por todos os sul-africanos , negros e brancos .
    Na Copa do Mundo , o script não faz concessões e não admite finais felizes para todo o elenco . E a África do Sul foi eliminada quarta-feira . Do ponto de vista do futebol , foi um desenlace lógico , inevitável . O coro estridente das vuvuzelas pode estimular o entusiasmo dos torcedores locais – ao mesmo tempo , reconheça-se , que provoca enxaqueca nos visitantes – mas não ensina futebola ninguém . E , reconheça-se com frio pesar , os sul-africanos não são mesmo de muita bola .
    A esta altura , nem Galvão nem Calazans sabem o que ainda acontecerá com os brasileiros nesta Copa . Eu , muitíssimo menos . mas , como esperanças são gratuitas , atrevo-me a imaginar que pelo menos um pouco mais adiante o pessoal vai chegar . Se ganharmos , teremos a alegria extra de saber que não atropelamos no caminho os compatriotas de um dos cidadãos do mundo mais merecedores de admiração do que a maioria dos governantes destas décadas tão medíocres que temos vivido ultimamente .

    Luiz Garcia

    __________________________________________________________________

    ” Vuvuzelas de fogo ”

    Como um enxame bíblico de marimbondos de fogo , o zumbido infernal das vuvuzelas invade os nossos ouvidos . O estilo imita Sarney , mas é verdade .
    Elas se sobrepõem a todos os sons do estádio , aos gritos dos jogadores , aos cantos das torcidas , ao rumor surdo dos chutes na bola , ao apito do juiz .
    Como os olhos se ofuscam com flashes luminosos , e a língua perde o paladar quando anestesiada por um sabor muito forte , as vuvuzelas produzem o mesmo efeito na audição . Tapar os ouvidos é renunciar também a todos os sons que fazem as imagens do jogo vivas e emocionantes .
    Mas agora é tarde , proibi-las seria visto como uma afronta à livre expressão da cultura nacional , e talvez até racismo . O que fez da vuvuzela um pesadelo não foi o seu som , mas o incentivo ao seu uso massivo , uníssono e intermitente . Quem mandou achar graça ? Assim se cria um monstro sonoro .
    Mas a vuvuzela é só uma forma moderna de fazer barulho para incentivar um time . Como já fazia nos anos 60 a Charanga do Flamengo , que batucava na arquibancada , ou uma insuportável banda carnavalesca do Atlético Mineiro , que tornava qualquer partida do Galo um tormento auditivo para todos . Lembro-me até de um popular torcedor vascaíno que comandava a torcida com uma corneta feita de um longo talo de mamona . Era a eco-vuvuzela , autossustentável ; as africanas são de plático e certamente feitas na China .
    Também não me saem da memória auditiva as tonitruantes buzinas de ar comprimido , em tubos de aerosol , ecológicamente incorretíssimas , que os italianos e alemães lançaram na Copa da Espanha , em 1982 , e que infernizaram todos que tiveram a desventura de estar num raio de um quilômetro daquele abominável som . A sonoridade ácida e metálica dessas buzinas é tão inesquecível quanto a nossa derrota no Sarriá .
    Ainda bem que são só as vuvuzelas , pior seriam milhares de buzinas de ar comprimido tocando ao mesmo tempo , como uma manada de caminhões selvagens trombeteando a era da boçalidade . Mas o tempo e a bola é que vão ficar em nossa memória afetiva como um zumbido infernal ou como a doce trilha sonora da vitória .

    Nelson Motta

    ___________________________________________________________________

    E o jogo Alemanha e Sérvia , hem ?

    Zebrão ?

    Prometo tentar deixá-los em paz , por hoje …

    Beijinhos carinhosos .

  4. Gabrielaem 18 jun 2010 �s 16:13

    Dr. Maia

    Não diria “diferença entre amadores e profissionais” e sim “diferença entre empregados e profissionais”. Sabe dr. Maia, isso já acontece em todas as profissões, lamentavelmente. Hoje só há empregados e não mais aqueles que realmente abraçam a sua profissão.

    Dr. Maia para onde vai o dinheiro que nos é descontado para o Inss? Quero dizer, enquanto trabalho, sou descontada para receber na aposentadoria vinte porcento, mas na realidade você recebe somente cinco porcento e é muito, para onde vai o restante?

    Obrigada dr. Maia pela atenção.
    Um grande abraço
    Gabriela

  5. clovis luis marcolinem 18 jun 2010 �s 19:27

    LULA CONCEDE REAJUSTE AOS APOSENTADOS DO INSS QUE GANHAM ACIMA DO SALÁRIOMÍNIMO E VETA O FIMM DO FATOR PREVIDENCIÁRIO

    Perderam os aposentados, e mais ainda os que estão ainda na ativa, mas como nem um grupo nem o outro entendem de previdência todos acham que ganharam alguma coisa de Lula, e o apóiam imaginando terem recebido algo a mais do que o governo lhes devia. Perderam todos, mas Lula ganhou a simpatia da velhacada caduca e ignorante o apoio da mídia neoliberal e o apoio dos candidatos Dilma e Serra, ambos pensando igual a Lula> salvar as finanças públicas para que o governo possa pagar juros mais elevados aos detentores da quase impagável Dívida Pública.

    O reajuste dos aposentados não era importante, pois o que se dá hoje, no próximo reajuste é muito simples retirar- é só fazer o que sempre fez esse governo durante os anos de sua gestão, com os aposentados que ganham além do salário mínimo. As perdas foram superiores a 30% entre 2003 e 2010, portanto conceder em torno de 2% e assim enganar os pobres coitados é mais fácil que roubar doce de criança.

    É a tal diferença entre amadores e profissionais que o Dr. Maia se refere, também na relação entre governo e beneficiários do INSS.

  6. João Leopoldoem 21 jun 2010 �s 11:48

    Bom dia a todos.
    Muito bom seu texto Dr Maia. Quanto a colocação abaixo, não é que a oposição esteja “desarticulada”, é que NÃO EXISTE OPOSIÇÃO NO BRASIL , talvez alguns “gatos pingados” que sozinhos nada conseguem fazer. O porque não existe? Eu sei , mas prefiro não falar, porém tenho certeza que muitos sabem do porque que não existe oposição no brasil e com certeza não estão DESARTICULDOS, estão CONIVENTES e o conivente é o mais perigoso. E quanto a imprensa brasileira, bom, ela não é especialista em nada no brasil, são grandes “chutões” e porque não dizer, RIDÍCULA. Em alguma parte do nosso grande Brasil, as pessoas não são ARTICULÁVEIS, e graças a Deus que não são.

    “III
    Aí entra outro ponto que já tocamos aqui. A oposição está desarticulada e sem discurso. Na falta da oposição, a imprensa resolveu assumir esse lugar. Só que o baronato da imprensa não é exatamente especialista em fazer política de massas. Então, consegue impor sua vontade, seus discursos, contratando seus comentaristas de sempre, mas não consegue manipular tudo o tempo todo.”

    Manja a panela de pressão? Pois é, este é meu medo, o efeito “panela de pressão” onde tudo pode acontecer.
    Um tríplice e fraterno abraço à todos.

  7. John Raschle Juniorem 22 jun 2010 �s 14:55

    por falar em tudo, como vai o caso AERUS?

Trackback URI | Comments RSS

Deixe uma mensagem.