jun 18 2010

SARAMAGO

Postado por at 22:43 sob Uncategorized

O que havia de mais extraordinário em Saramago era o seu comprometimento absoluto com o ser humano. Daí nascia a sua convicção comunista, daí nascia, também, sua negação da divindade. Um extraordinário humanista, sempre apoiando as causas que dizem respeito à dignidade humana, ao fim do sofrimento.

II
Poucas filosofias nasceram com a inspiração tão generosa, tão grandiosa, quanto o comunismo. Em pleno soterramento do homem pelas máquinas, na revolução industrial, surge um pensador para dizer que um dia tudo seria diferente, que aqueles que estavam sendo esmagados pelas máquinas um dia tomariam o poder e estabeleceriam a igualdade. Em meio àquela tortura impressionante, à exploração desmedida do ser humano, à exploração de crianças de quatro anos de idade, surge essa promessa, essa esperança. Grandioso e humano.

III
Daí a sedução das idéias comunistas: a idéia de igualdade, onde um ser humano não se mediria em face do outro a partir de seus bens. A inspiração, portanto, foi generosa. Mesmo que a quase totalidade das experiências tenha sido ruim, não se pode negar a generosidade, a grandiosidade da inspiração original.

IV
Digo isso, primeiro, porque Saramago levou até o fim sua convicção comunista. Segundo, porque é preciso falar sobre o chamado “neocon”, ou seja, o neoconservadorismo. Hoje mesmo, no site da UOl, a chamada era “Saramago apoiou Cuba”. Há duas questões a registrar, aí: a primeira, que essa informação estava completamente desatualizada. Saramago retirou o seu apoio incondicional a Cuba há cerca de 4 anos, desgostoso com alguma coisa que lhe pareceu como a gota d’agua. A segunda questão, no entanto, é que o “neocom” busca levar a uma satanização de Cuba, ou de tudo o que for de esquerda. Há um discurso de gente nova, de pouco mais de 30 anos de idade, de um conservadorismo absurdo, abjeto, de um individualismo completo. A chamada da Uol é de um reducionaismo impressionante: morre o maior escritor da língua portuguesa, e a chamada deles diz respeito a Cuba.

V
Li, há poucos dias, e não vou citar o nome, o livro de um desses “neocon” tentando fazer uma releitura da história do Brasil. O livro foi interessante no começo, tolerável no meio, e absolutamente intragável no fim. Um guri de 31 anos de idade já completamente tomado por idéias sem qualquer inspiração, qualquer traço de generosidade, qualquer rudimento de humanismo. Nada disso. O tempo todo o tal “mercado”, o individualismo exacerbado, o cinismo, enfim. Não é a toa que foi repórter de uma dessas revistas que já trazem a opinião pronta para quem não consegue formular a sua própria.

VI
E aí comparo as duas coisas: de um lado, a inspiração humanista, generosa, grandiosa de Saramago. De outro, essa visão amesquinhada do ser humano, o permanente cinismo, a louvação a um tal “mercado” que se transformou em uma nova religião, um certo deboche pelos desvalidos que passam, também aqui, a ser “loosers”.

VII
Saramago tinha como formação Torneiro Mecânico. E seus avós eram analfabetos. Dizia que o homem mais sábio que conheceu na sua vida, o seu avô, era analfabeto. O prêmio Nobel de Literatura, pois, rendia suas homenagens ao maior sábio que conheceu, ao homem que lhe ensinou a contar histórias, ao seu avô analfabeto.

VIII
Mais ainda avulta a generosidade, a grandeza, a humanidade de Saramago. Dentro dos tais “neocon”, nada disso importa. O que vale é ostentar algum tipo de formação educacional superficial, de preferência com algum “MBA”, sem qualquer traço humanista. E, sempre, procurar humilhar aqueles cuja vida não permitiu chegar ao curso superior. É uma distinção esnobe, onde a educação formal não significa, necessariamente, educação ou cultura, mas tão somente o disfarçar de uma permanente ignorância sobre a condição humana sob o biombo de um diploma. Nada se fala do caráter, da alma, das aspirações e das inspirações, da generosidade na visão do mundo. Fala-se, tão somente, em curso superior.

IX
Essa dita visão “neocon” perpassa, agora, os necrológios sobre Saramago. O Uol , quando morre o maior escritor atual da língua portuguesa, o nosso Prêmio Nobel, resolve chamar a atenção tão somente para o apoio a Cuba, como se o simples apoio a Cuba fosse de todo censurável. Se apoiasse Bush Júnior, se apoiasse quaisquer dos ditadores de direita, nada seria dito. Mas a moda, agora, é o “neocon”, e para isso é preciso, a cada momento, ridicularizar tudo o que está à esquerda. Moderno é o mercado, o resto é antiguidade.

X
Já fiz, aqui, várias vezes críticas aos comunistas. Algumas, em referência histórica ao mencionar o equívoco durante os governos Getúlio e o maior equívoco, ainda, ao se aliar, ainda que momentaneamente, à UDN. Depois, a crítica direta ao PCdoB no que se refere ao s leilões de bacias petrolíferas, já que aquele partido dirigiu durante longo tempo a Agência Nacional do Petróleo durante o governo Lula.

XI
É preciso que se diga, no entanto, que parte significativa das conquistas do povo brasileiro veio, sim, também a partir da luta dos comunistas, da permanente pressão que exerciam sobre o capitalismo que precisava, à época, demonstrar que era melhor do que a alternativa comunista. Hoje não há mais a ameaça de alternativa comunista, e essa ameaça faz falta. Desde a queda do muro de Berlim que toda a pressão mundial está em retirar direitos de trabalhadores e aposentados. O capitalismo não precisa mais provar que é melhor do que ninguém.

XII
Foi embora Saramago, comunista e ateu. Foi embora o nosso Prêmio Nobel da língua portuguesa. Quem perde é a humanidade, são os desvalidos, são todos aqueles que buscam um olhar de conforto, de incentivo, de compaixão pelo sofrimento humano. O mundo fica menos doce, menos generoso, menos fraterno.

25 respostas até o momento

25 Respostas em “SARAMAGO”

  1. Henriqueem 19 jun 2010 �s 00:44

    Dr. Maia

    Desculpe desviar o assunto da morte do Saramago. É que acabei de ler no Globo online que o fundo de pensão da Cedae, o Prece, está QUEBRADO. A dívida chega
    a 736 milhões. A Previc ( antiga SPC ) fez uma auditoria e concluiu que nem que o fundo venda TODOS os seus bens terá condições de pagar as dívidas.
    Ou seja, está mais do que provado que a SPC não atuava, não cumpria suas obrigações de fiscalizar os fundos de pensão, o que resultou na tragédia do Aerus.
    Pelo jeito vamos em breve receber a companhia de 12 mil aposentados da Cedae
    na nossa desgraça.

  2. Petraem 19 jun 2010 �s 00:50

    Algumas frases de Saramago :

    Gostar , é provávelmente a melhor maneira de ter , ter deve ser a pior maneira de gostar .

    ___________________________________________________________________

    Se tens , um coração de ferro , bom proveito .
    O meu , fizeram-no de carne , e sangra todo o dia .

    ___________________________________________________________________

    Todos sabemos que cada dia que nasce é o primeiro para uns e será o último para outros , e que , para a maioria , é só um dia a mais .

    ___________________________________________________________________

    Dirão em som , as coisas que , calados , no silêncio dos olhos confessamos ?

    ___________________________________________________________________

    Beijinhos carinhosos .

  3. Petraem 19 jun 2010 �s 09:40

    Dr. Maia , bom dia !

    Após escrever as frases de Saramago no comentário acima , voltei para a cama e assisti um entrevista muito interessante na Globo News com Saramago e sua Pilar del Rio , que valeu a madrugada insone .
    Apesar da perda de Saramago , continuamos com o ” nosso ” Veríssimo ;

    ” Afundaram o Bismarck ”

    Quem vê cara nem sempre vê caráter .
    Há serial – killers com cara de bebê , gente ótima com caras suspeitíssimas .
    O técnico da França , Raymond Domenech , pode ser um bom sujeito , bom pai , doador de sangue , em dia com o fisco e amigo dos seus amigos – mas a sua cara não diz isso . Sua cara é de permanente desdém pela humanidade . Na Copa da Alemanha , ele quase apanhou de Felipãoe tenho certeza que não foi por nenhuma razão de jogo : o Felipão simplesmente não aguentou aquela cara ali a seu lado , pedindo um tabefe .
    Mas a cara do Domenech no final do jogo México 2 X 0 França não inspirava outro sentimento senão o de piedade . Era a cara de um homem abandonado . Pelas suas ilusões , pelo seu time , até pela sua empáfia . No fim do jogo , o técnico , que recebeu seus jogadores derrotados com formais tapinhas nas costas , era um homem que literalmente não estava mais ali . Crueldade adicional : estão chamando ” Les Bleus ” de ” Les Bleufs “.
    O primeiro jogo da Alemanha nesta Copa foi um pouco como a notícia do lançamento do encouraçado Bismarck , na Segunda Guerra Mundial . Causou o mesmo espanto e temor . O Bismarck era a mais formidável máquina de guerra jamais produzida . Era indistrutível , e os estragos que causaria nas forças navais aliadas , presumivelmente , definiriam os destinos da guerra do Atlântico Norte . A primeira impressão do time renovado da Alemanha foi também de terror reverencial . Um jornal local pediu para vários analistas fazerem suas seleções da Copa até aqui , já que todos os times tinham jogado pelo menos uma vez e apresentado suas credenciais . Todas as seleções dos analistas tinham uma maioria de alemães ( do Brasil , só o Maicon foi bem votado e o seu gol , escolhido como o mais bonito depois do gol de Tshabalala na estréia da Àfrica do Sul ) . Schweinsteiger , Özil , Klose , Thomes Müller , Podolski e os outros que massacraram a Austrália seriam certamente as sensações desta Copa . O Bismarck não chegou a entrar na guerra . Foi afundado por navios ingleses pouco depois de sair do estaleiro . Ontem , foi a vez de os sérvios afundarem o Bismarck . Claro que o naufrágio não é definitivo . Alemão não fica no fundo por muito tempo . Mas a máquina indestrutível , como o Bismarck , não era bem isto .
    A culpa do vexame do goleiro Green , da Inglaterra , no jogo contra os Estados Unidos , seria da sua namorada , com quem Green brigou antes de viajar . Ele estaria pensando nela quando os americanos marcaram seu gol . Agora , dizem que o goleiro espanhol Casillas se descontrolou com a presença de sua namorada , a jornalista Sara Carbonero , chamada na Espanha de a repórter mais sexy do mundo , na beira do campo , na derrota humilhante do seu time para a Suíça . Com a bola inconfiável enganando todo mundo e agora as namoradas decidindo jogos , a influência feminina nesta Copa começa a ser decisiva .

    ___________________________________________________________________

    Vamos para a coluna de Marcelo Adnet ?

    ” Um lixo de Dubrovnik ”

    Queridos leitores , estou em Dubrovnik , na Croácia , um lugar sensacional e ” estranhamente belo ” , como definiu bem a minha mãe ao ver as fotos daqui . Enquanto cantava canções populares bósnias com um garçom de um bar ( no estrangeiro a gente pode pagar mico á vontade ) , assistia a 0 a 0 de Inglaterra e Argélia . E quando ele foi embora sem acreditar que eu realmente era brasileiro , eu voltei a ver o jogo e pensei – ” que lixo , que horror , nossa ! Por que eu não estou jogando ? ”
    Logo depois , fiz uma autocrítica – ” será que a Copa está tão ruim ? Será que eu é que estou mais chato , exigente ” ?
    Não . A Copa está um lixo mesmo . Tão lixo que os jogadores podiam combinar : ” Gente , vamos parar a Copa ? Vamos para casa e ponto final ?” . Porque , sinceramente , esta Copa é uma decepção para milhões de ingleses , alemães , franceses , e para 200 milhões de brasileiros , ah! desculpe , 199.999.999 de brasileiros , por que o Dunga tá seguro de suas decisões . Aliás , com esse início de mundial frustrante , o Brasil é favorito junto com a Argentina , na minha opinião . Um garçom croata do bar onde assistia ao jogo me disse : “Brasil ? Nevolim Dunga ” . A retranca de Dunga atravessa o mundo ! Falando nisso após o vergonhoso Brasil X Coréia , que vi na Itália , a imprensa italiana definiu bem o jogo : ” Brasil giuoca al ritmo della bossa nuova ” . O filme do Brasil vai se queimando ao redor do planeta . Pra piorar a chatice da Copa , vale lembrar que aqui em Dubrovnik , na Croácia , não tem Galvão , ou seja , não posso ter o prazer de , ao menos rir de suas teorias absurdas ! Inclusive queria lançar a campanha ” não cala a boca Galvão , voce é nossa diversão ” . Porque , vejam bem , se não fosse por ele , a Copa não teria nenhum atrativo , nós não teríamos do que reclamar ! Galvão e Dunga são os assuntos mais falados do Brasil . E só . Aliás , por não ter Galvão , nem um outro locutor que fale uma língua compreensível por aqui , não consegui entender por que o terceiro gol estadunidense ( americanos somos nozes ) foi anulado . A arbitragem tá correndo atrás pra ir tão mal quanto os jogadores .
    Aliás , o árbitro de Brasil e Costa do Marfim vende vídeo games . Para ele , triângulo enfia , quadrado chuta , bola cruza . E o time do Paraguai só joga se o jogo estiver desbloqueado . Basta saber quem está com a setinha para cima .Enquanto isso , aqui na histórica Dubrovnik , os simpaticíssimos crotas tiveram uma sexta de Copa agitada – a Sérvia , que bombardeou a cidade 15 anos atrás , venceu a Alemanha do ” lelescão-joselito-sem-noção” Klose . O programa pós-jogo por aqui é um humorístico , olha que bacana ! E os croatas portavam bandeirinhas da Alemanha , torcendo pela derrota daqueles que destruíram mais da metade de Dubrovnik nos anos 90 . Não deu . Por outro lado , torceram também pela vizinha e também agredida pelos sérvios Eslovênia . O 2X2 foi bom pros ex. yugoslavos , que têm chances de classificação . Falando na rivalidade , um taxista daqui me disse que , quando pega passageiros sérvios , eles pedem desculpas mil vezes , mas dão uma ótima gorgeta pata compensar .
    O interessante dessas relações entre vizinhos é perceber que , mesmo com motivos de sobra pra secar os sérvios , o povo da Croácia não dá tanta atenção a esta rivalidade como nós , brasileiros , damos á rivalidade com a Argentina . E aí vem a pergunta : ” Por que nós não curtimos os argentinos ? Poque eles têm um cabelo igual ao Chitãozinho e Xororó ? Porque alfajor é melhor do que os quindins de Yayá ? Pela imensa rivalidade tango versus samba ? Chiquititas versus Malhação ? Não vejo sentido na rivalidade . Mas , tudo bem , eu sei , é tudo uma grande brincadeira . Precisamos de grandes rivais , né ? E motes para comerciais de cerveja .
    Ando preocupado com as promessas que fiz na semana passada . Pelo jeito que a Copa está é bem capaz de Honduras ser campeã mundial e eu ter que dar duas voltas na Lagoa com minha mãe no colo , fazendo o moonwalk , besuntado de óleo .
    Escrevi ali no Twitter que a Copa estava ” ridícula , chata , mala , sem criatividade , boba e feia ” . Uma leitora concluiu dizendo que a Copa está ” careta e homogênea ” . Perfeito ! Homogênea é péssimo , porque todas as seleções perdem identidade e passa a ser quase que um sorteio . Tipo uma Copa por RPG , rola o dado e vê o que acontece .
    Andando pelos muros desta cidade medieval , encontrei Pai Dinê , que me passou as suas previsões para os jogos deste fim de semana , pela Copa do Mundo :

    Holanda X Japão : Duelo do sushi contra a mac.. digo , contra a laranja Macônic… digo , mecânica . mesmo tendo tudo para ser o duelo menos pior do fim de semana , o jogo é as 8:30 da manhã . Ou seja , se voce acordar pra ver , passe no guichê 3 e pegue seu crachá de otário .

    Gana X Austrália : Lixo

    Camarões X Dinamarca : Lixo . Leia um livro

    Eslováquia X Paraguai : ZZZZZ . Lixo . Nem se meu pai fosse paraguaio e minha mãe eslovaca eu veria .

    Itália X Nova Zelândia : Se a Itália mandar muito bem , pode ser que não seja um lixo .

    Brasil X Costa do Marfim : Vamos ter que ver , né ? Tomara que não seja um lixo . Tomara que a gente veja algum futebol . Capricha Costa do Marfim ! Vai que é sua Galvão !

    Gente , esta Copa está sendo uma decepção tão grande que eu vou dormir . Aí são 9 da noite mas aqui são 2 da manhã . Legal da Copa no exterior é o clima de festa . Ganhei 20 a 6 no totó do Omar , um cara do Kwait , e disse a ele : ” Por isso que o Kwait não está na Copa ” .

    Saudades do Cabofriense X Duque de Caxias ! Isso , sim , é que é futebol !

    Fui !!!

    ___________________________________________________________________

    Abraços e beijinhos carinhosos recheados de saúde e muita paz .

  4. Petraem 19 jun 2010 �s 10:30

    Voltando a Saramago :

    Em 2003 quando ele , comunista histórico , criticou Fidel pela prisão de 75 dissidentes :

    ” De agora em diante Cuba segue seu caminho , eu fico aqui ” .

    E a sua definição fria , lúcida sobre a morte ;

    ” A morte é simplesmente a diferença entre o estar aqui e já não mais estar ” .

    __________________________________________________________________

    Pena que já não mais estás , mas continuarás a estar através da sua obra .

    Beijinhos carinhosos .

  5. Julioem 19 jun 2010 �s 10:56

    Um autor que li e não consegui gostar,como todos,não se pode agradar a todos todas as horas.

  6. Marlonem 19 jun 2010 �s 15:14

    “Neocon”….como vimos na crise de 2008, que agora se estende a países europeus: “individualizar o lucro. Socializar os prejuízos”. Assim, é fácil ser capitalista…

  7. Gringoem 19 jun 2010 �s 17:05

    Caro Dr. Maia,
    Seu texto sôbre a visão de vida do Saramago, além de excelente, me parece bastante didático na medida em que abordou o tratamento dado pelo UOL a uma perda substantiva para a humanidade.
    Concordo em “gênero e número” com as observações sôbre os “neocon”. Com frequência, fico matutando aonde vai nos levar uma sociedade que dá voz e vez a êsses… almofadinhas (ou seriam príncipes?).
    Não era êsse o mundo que eu queria para os meus netos.

  8. valdenor de oliveira monteiroem 20 jun 2010 �s 00:57

    ILUSTRE Dr. Maia, saúde e paz
    Assim, a gente não para mais de ler! São lindas páginas de Humanismo, que se desenrolam no tema e nos comentários, ornadas de arabescos antropocêntricos de Saramago, na busca infinita desse sentido irreal da vida. E pouco a pouco, de consumidores, passamos a consumíveis, em que palavras carregadas de destino nos absorvem como a luz da aurora. São ccnvicções de que a fecundidade da ação humana é responsável pela criação dos valores que condicionam cada vez mais o espírito humano. Fala-se pouco, ou nada, não bebemos o vazio dos oceanos nem comemos o sal do pranto, pois só de olho nesta tela, alimentamo-la, esperando a solução do que nos aflige, gastando sonhos e palavras vãs, eis, porém, que chegamos a surpreendermo-nos pelo que não seja, mas como sempre, esperávamos que algum dia fosse, mesmo de outra forma, numa das mais belas páginas do Humanismo. E benditas as imagens que ficaram na memória.
    Grato, valdenor

  9. Petraem 20 jun 2010 �s 07:09

    Bom dia , Dr. Maia !
    Vamos ao Veríssimo do dia ?

    ” BRRRRR”

    A última vez que fez tanto frio assim na África do Sul foi na Era Glacial , quando nem eu era nascido . Só para dar uma idéia : as girafas estão procurando cachecóis do seu tamanho , e os pinguins da Cidade do Cabo trocaram seus fraque por macacões térmicos . Nós aderimos ao princípio da cebola , que é o de usar camadas de agasalho até um ponto em que o frio desiste de penetrar . Importantíssimo : proteger as orelhas . Quando começamos a perder partes congeladas , as orelhas são as primeiras a cair . Nada tem sido mais essencial para o nosso trabalho aqui – mais do que acesso ao Dunga e à Internet – do que um bom gorro para tapar as orelhas . Se a crônica que escrevi , ainda no Media Center do Estádio Elis Park depois do jogo do Brasil e Coreia do Norte , pareceu meio tremida , é porque levei quase meia hora para parar de tremer e conseguir bater nas teclas certas . Para vencer a tremedeira comecei a pensar em coisas quentes . Uma sopa fumegante . Uma lareira acesa . Um tapete de pele de urso na frente da lareira . A Charlize Teron em cima do tapete de urso , me dando a sopa na boca . Nada adiantava .
    Finalmente , a tremedeira cedeu ao senso de ridículo ou ao senso profissional , não sei bem qual . Digitalizei a crônica , mesmo com o risco de errar as letras e acabar comentando outro jogo . E as luvas não ajudaram .
    Pelo menos a Copa em si está esquentando . Depois das derrotas da Espanha para a Suíça e da Alemanha para a Sérvia , pode dar de tudo – inclusive a lógica . Os times da Bacia do Prata se encarregaram de compensar a escassez de gols dos primeiros jogos , a Argentina dando de quatro na Coreia do Sul e o Uruguai de três na África do Sul . Os juízes estão desmentindo o anunciado antes da Copa , que deixariam os jogos correr , só dariam as faltas mais duras e economizariam nos cartões amarelos . No jogo Alemanha e Sérvia , por exemplo , quase metade dos jogadores em campo recebeu cartão amarelo . Estados Unidos e Eslovênia também foi um jogo truncado , e muito amarelado , pelo juiz .
    Qual é a minha seleção da Copa até aqui ?
    Eu tinha escolhido todo o time da Alemanha , com alguns enxertos da Argentina . Agora preciso de tempo para reformulá-la . Em Copas como esta , o melhor é resistir a entusismos muito precoces , e ficar frio . O que eu estou dizendo ? Frio não , frio não !

    ___________________________________________________________________

    Abraços e beijinhos carinhosos por hora , mais tarde assim que receber a Veja digital eu envio a coluna da Lya Luft que está ótima e um artigo interessantíssimo sobre as últimas novidades sobre a cura de alguns tipos de câncer .
    Hoje é dia de pastel de queijo e caldo de cana , ou seja , feira !!!!

    A música que mais gosto sobre futebol , e que me remete a minha infância e juventude , quando ia ao cinema é a do antigo Canal 100 , que passava antes dos filmes nos cinemas para anunciar as notícias futebolísticas da semana ,ela é uma delícia , matem as saudades , e quem sabe , já fica de aquecimento para logo mais á tarde …

    http://www.youtube.com/watch?v=5uCPo6p97Pw

    Beijinhos carinhosos .

  10. Petraem 20 jun 2010 �s 14:50

    Boa tarde , Dr. Maia !
    Como prometido , transcrevo o que achei interessante na Veja desta semana ;

    ” Uma vitória da vida (A) ”
    Como os avanços notáveis nos tratamentos estão derrotando o câncer e fazendo com que ele perca a imagem sombria de predador. Para a sua desmitificação, contribuem – e muito – os depoimentos de gente famosa, como José Alencar, Hebe Camargo, Christina Applegate e
    Lance Armstrong, que resiste à doença com bravura e otimismo
    Adriana Dias Lopes
    Istockphoto

    O câncer é aquele ônibus que
    ninguém quer mas com que
    se conta; não se corre atrás
    dele, mas quando ele passa se toma
    Os versos acima são de João Cabral de Melo Neto, morto em 1999 – não de câncer, mas de causas associadas a uma doença degenerativa. Poeta virtuoso, um dos maiores da língua portuguesa, João Cabral conseguiu condensar seu tema numa imagem cotidiana, de alcance universal: para além do alto grau de incidência da doença, a fatalidade com que o diagnóstico de câncer costuma ser recebido. De fato, está longe de ser uma banalidade ouvir que se é hóspede de um tumor maligno. Mas também é verdade que isso deixou de significar, necessariamente, a emissão de um atestado de óbito. Pegue-se, a título de exemplo, o caso do vice-presidente José Alencar. Em setembro do ano passado, em entrevista a VEJA, ele disse: “Estou preparado para morrer”. Naquela ocasião, Alencar iniciava sua 11ª batalha contra um câncer na região abdominal, detectado em 2006. Com um prognóstico sombrio, a declaração à revista soou como a rendição de um homem até então otimista. De lá para cá, no entanto, Alencar apareceu mais 28 vezes nas páginas de VEJA – em meio, principalmente, a notícias políticas e econômicas. A quimioterapia a que ele vem sendo submetido tem dado resultados positivos. Os médicos não falam em cura, mas Alencar tem levado uma vida praticamente normal. Foi padrinho de casamento do irmão e chegou até a cogitar candidatar-se ao Senado nas eleições de outubro. O quadro clínico do vice-presidente ilustra não só a sua resistência física e emocional, como a evolução impressionante da medicina diante do câncer nos últimos dez anos.
    Lailson Santos

    Sobrevida (muito) maior
    Em janeiro, a apresentadora Hebe Camargo, de 81 anos, foi diagnosticada com um câncer no peritônio, a membrana que reveste os órgãos da região pélvica e abdominal. A doença está controlada graças ao tratamento quimioterápico ao qual ela foi submetida. Dos anos 90 para cá, com o surgimento de medicações mais precisas contra esse tipo de tumor, as chances de sobrevida aumentaram 50%

    “O câncer moldou a sua própria mitologia de um predador obsceno e demoníaco, um caçador sombrio e invencível”, definiu o biólogo inglês Mel Greaves. A aura de obsceno, demoníaco e sombrio é difícil de cancelar, em que pese o comportamento de pessoas corajosas como Alencar. Invencível, contudo, o câncer não é mesmo, enfatize-se. Hoje, 75% dos casos flagrados em estágio inicial podem ser curados. Quarenta por cento a mais em relação ao que ocorria na década de 70. Isso, na média. O índice de remissão total no tratamento de um tumor como o de fígado, antes altamente letal, hoje é de 85% – contra 35% na década passada. Resultados tão exuberantes estão fazendo com que os pacientes comecem a falar abertamente da doença, com uma esperança que aviva em si próprios e em seus semelhantes a disposição para enfrentar o câncer – melhorando, assim, o grau de adesão às terapias, num círculo virtuoso que ajuda a elevar as estatísticas de cura. Nesse sentido, as celebridades atingidas pela doença têm dado um bom exemplo ao expor sua luta. “A batalha contra o tumor trouxe um novo sentido à minha vida”, disse, em 2008, a atriz americana Christina Applegate, então com 36 anos, à rede de televisão ABC. Na entrevista que emocionou milhões de americanos, ela contou que havia sido submetida à extirpação total das duas mamas em decorrência de um câncer de origem hereditária. No ano seguinte, ela recebeu uma homenagem da revista americana People: foi capa da publicação na condição de “a mulher mais bonita do mundo”. Recentemente, foi a vez de a apresentadora brasileira Hebe Camargo, de 81 anos, dar seu testemunho, relatando, “toda serelepe”, como enfrentou a quimioterapia a que foi submetida para eliminar um câncer no peritônio, a membrana que reveste os órgãos da região abdominal. “Descobri que a doença não é o monstro de que tanto falam. É preciso acabar com essas besteiras”, disse Hebe a VEJA.
    Chris Floyd/Camera Press/Other Images
    Genética contra os tumores
    Aos 36 anos, em 2008, a atriz americana Christina Applegate anunciou ter passado por uma mastectomia bilateral – a retirada da mama onde o tumor foi encontrado e a extração preventiva da outra, sadia. Christina tomou essa decisão radical por ser portadora de uma alteração genética que funciona como uma condenação ao câncer de mama. Hoje, graças à profilaxia genética, a probabilidade de ela ter uma recidiva da doença gira em torno de 1% (sempre sobram células mamárias depois da mastectomia).

    As notícias estão melhores também para os pacientes sem chance de cura. Hoje, no Brasil, há cerca de 170 000 homens e mulheres nessa condição. “Pelo menos a metade deles consegue manter uma rotina razoavelmente normal, por causa das novas medicações desenvolvidas pela oncologia”, diz Sergio Simon, oncologista do Hospital Albert Einstein, em São Paulo. Ou seja, podem tocar o dia a dia livres de dor e com mais autonomia. Um dos tumores mais agressivos e resistentes a tratamentos é o de pulmão em fase de metástase, quando já se alastrou para pelo menos outro órgão. Mesmo assim, a média de sobrevida de um paciente nessas condições pulou para dois anos. Na década de 90, era de apenas sete meses.”Qualquer tempo a mais é essencial para que o doente tenha a oportunidade de apaziguar-se, pondo em ordem a vida prática, familiar e emocional”, diz o oncologista Bernardo Garicochea, da Pontifícia Universidade Católica (PUC) do Rio Grande do Sul. Pode parecer pouco, mas a possibilidade de antever o fim da própria existência com tranquilidade é algo belo – desde que se adote a perspectiva do pensador romano Cícero, ecoada pelo francês Montaigne, segundo a qual “filosofar não é outra coisa que preparar-se para a morte”.
    Um dos caminhos de tratamento contra o câncer mais investigados pela medicina refere-se à criação de vacinas terapêuticas – medicamentos que estimulam o sistema imunológico no combate às células cancerosas. Há dois meses, a FDA, a agência americana de controle de remédios, aprovou a primeira dessas vacinas. Desenvolvida pelo laboratório Dendreon, a Provenge é destinada a pacientes com câncer de próstata. Nos testes, doentes com tumor em estágios avançados ganharam, em média, cinco meses a mais de uma vida relativamente boa. O entusiasmo dos médicos com a Provenge não se explica apenas pelo aumento da sobrevida dos pacientes. “Só de se revelar eficaz, essa vacina simboliza um marco nas terapias anticâncer”, diz o oncologista Gustavo Guimarães, do Hospital A.C. Camargo, em São Paulo. O maior feito dos inventores da Provenge foi ter vencido um grande obstáculo no desenvolvimento das vacinas terapêuticas: o de levar o organismo a identificar apenas as células cancerosas como agentes nocivos e, assim, passar a tentar destruí-las. “O corpo tem extrema dificuldade em reconhecer o câncer como um ser estranho, já que ele surge de células sadias”, explica o médico Marcello Fanelli, também do Hospital A.C. Camargo.
    A frente imunológica de combate ao câncer foi inaugurada nos anos 70, com a chegada ao mercado do interferon. Lançado originalmente para o combate de viroses respiratórias, o remédio logo teve seu uso ampliado para pacientes com tumores malignos, por ter se mostrado um potente estimulador do sistema de defesa do organismo. Mas, apesar de todas as esperanças depositadas no interferon, ele não se revelou eficaz. Ao contrário das novas vacinas, desenhadas para facilitar o reconhecimento das células cancerosas, ele não conseguia deter a proliferação dos tumores, porque sua ação era muito difusa. O interferon só é usado hoje como ultimíssima cartada contra tipos raros de câncer. Entre esses tumores estão alguns linfomas e o melanoma. O seu efeito, no entanto, é muito limitado.

    Bravura e uma dezena de tratamentos
    Desde 2006, quando recebeu o diagnóstico para o câncer na região abdominal, o vice-presidente José Alencar, de 78 anos, vem resistindo bravamente à doença. Está no seu 11º tratamento. Ele já foi submetido a cirurgias agressivas, sessões de radioterapia e até a um medicamento ainda em fase experimental. Os médicos não falam em cura, mas Alencar tem conseguido levar uma vida praticamente normal. Dez anos atrás, mesmo um paciente com tanta coragem como ele não teria como enfrentar a doença

    Para desenvolverem a vacina Provenge, seus idealizadores escolheram trabalhar com a célula CD54, uma proteína do linfócito responsável por disparar o alarme do sistema imunológico contra a presença de um corpo estranho no organismo. Eles a marcaram com uma proteína criada em laboratório muito semelhante à PAP, encontrada em 95% dos tumores de próstata. Ao ser injetada no paciente, a CD54 modificada ensina as outras células de defesa a identificar como agente agressor aquelas que contêm a proteína PAP. A Provenge representa uma conquista e tanto, mas ela demorará a se tornar um tratamento de rotina. Suas três doses custam 98 000 dólares. Isso porque seu processo de fabricação é complicado, visto que as CD54 a ser modificadas precisam ser retiradas de cada paciente.
    Estudam-se vacinas terapêuticas para glioma, o tipo mais comum e letal de tumor de cérebro (que vitimou o senador americano Ted Kennedy), melanoma e cânceres de pulmão e mama. Elas foram um dos assuntos de maior destaque durante o 46º Congresso da Sociedade Americana de Oncologia Clínica (Asco), realizado há três semanas em Chicago, nos Estados Unidos. Um dos trabalhos que alvoroçaram os participantes foi o da vacina ipilimumabe, contra o melanoma, do laboratório Bristol-Myers Squibb. Os últimos resultados mostraram que a ipilimumabe pode dobrar a expectativa de vida de pacientes vítimas da doença em estágios avançados. Isso significa dois anos a mais, em média, em comparação com os doentes submetidos a tratamentos convencionais. A vacina contra o glioma, batizada pelo laboratório Pfizer de CDX-110, impediu a progressão da doença por, em média, cinco meses. Vale repetir: por enquanto, o grande mérito de tais vacinas, muito mais do que o aumento da sobrevida em si, é a comprovação de que a imunoterapia é um caminho viável na luta contra o câncer.
    Além das vacinas, existem 295 novos medicamentos em estudo contra os mais diversos tipos de câncer – o triplo em relação há dez anos. Eles são quimioterápicos e, em grande parte, pertencem ao grupo das terapias-alvo – que impedem a proliferação das células tumorais, sem afetar as células saudáveis. Com esse mecanismo, reduzem-se enormemente os efeitos colaterais. Os primeiros remédios dessa classe surgiram no início dos anos 2000. Entre os mais utilizados estão o Avastin (contra os tumores de intestino, mama e rim), o Erbitux (intestino), o MabThera (linfoma), o Herceptin (mama), o Nexavar (fígado e rim) e o Sutent (rim).
    Com o aprimoramento da análise genética dos tumores, tais medicamentos da terapia-alvo são o primeiro passo rumo ao tratamento individualizado – um sonho dos oncologistas, visto que, não bastasse haver 802 tipos de neoplasia, tumores idênticos podem responder de formas diferentes a um mesmo procedimento. Veja-se o caso do Erbitux. Em 2007, um ano depois de ter sido lançado, descobriu-se que os pacientes com câncer de intestino em fase avançada portadores de uma mutação no gene KRAS, específica de alguns tumores no órgão, não respondem ao medicamento. Quatro em cada dez doentes apresentam essa alteração genética. Ou seja, ao abandonarem um tratamento ineficaz, eles não perdem tempo para tentar buscar armas mais efetivas contra o seu problema. Na conferência em Chicago, foram apresentados resultados de um estudo com o remédio crizotinib, contra câncer de pulmão. Fabricado pelo laboratório Pfizer, ele está na fase dois de pesquisa, aquela que atesta a eficácia e a segurança do produto. O novo medicamento destina-se a pacientes cujo tumor possui uma mutação no gene ALK. Diz o oncologista Paulo Hoff, do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo: “A personalização dos tratamentos pode ser a peça que faltava para entender esse quebra-cabeça complexo chamado câncer”.

    ___________________________________________________________________

    Lya Luft
    Separação, o drama de todos
    “Se a separação dos pais pode resultar em crescimento e multiplicação de afetos, com boas lições de vida, pode também causar muita desagregação e infelicidade, muita solidão”
    Sempre fui favorável a não se curtir sofrimento inútil em longos casamentos nos quais em lugar de carinho e parceria imperam frieza e hostilidade – e se acumula o rancor que envenena sobretudo os filhos. Nem em nome deles, pensei muitas vezes, casais assim deveriam ficar juntos, pelo mal que causam. De certa forma continuo pensando isso, tanto tempo depois de minhas primeiras e precoces reflexões sobre o assunto, eu que vivi numa família de cuidados, afeto e alegria, apesar das naturais diferenças. Porém, a realidade da vida, numa sociedade em que as separações se banalizaram como se as emoções humanas tivessem deixado de vigorar, me ensinou que toda separação abre em pais e filhos feridas que podem não se fechar nunca mais, e que não precisaria ser assim.
    Já disse e escrevi que, quando é uma solução inevitável e melhor em conflitos graves, a separação dos pais – com todas as mudanças impostas na vida dos filhos, que não estão se separando, não querem se separar de nenhum dos pais nem mudar de casa, quem sabe de cidade – pode não ser unicamente um mal. Propicia um exercício de novos afetos, de compreensão e tolerância, também de parte dos filhos de qualquer idade com relação aos adultos. Costumamos bater na tecla de cuidar dos filhos, mas raramente nos lembramos de que há uma parte nessa relação, nem sempre fácil, que cabe aos filhos diante de seus pais. Já na pré-adolescência podemos exercitar nosso amor, respeito e tentativa de entender alguns dramas adultos, se não formos criados como pequenos príncipes mimados e birrentos, que batem pé diante do sofrimento alheio e não se importam com os outros.
    É verdade que aceitar que os pais já não moram juntos, que temos de nos separar de um deles, a quem veremos, talvez, em dias marcados e enfrentando, cara a cara ou de maneira surda e insidiosa, a raiva e os rancores do casal que se separa, há de ser muito duro. Há de ser triste, e marcante na alma dos filhos, sobretudo se a separação for acompanhada de violência, perseguição, desejo de vingança. Existem os casos brandos, eu sei, e conheço vários, esses em que apesar das dificuldades o casal procura se separar com civilidade e compreensão, não fechando para os filhos, pequenos ou adolescentes, a porta do amor ao pai ou à mãe. Ensinando a aceitar e respeitar o novo parceiro ou parceira deles: essa parte talvez mais difícil de todas em qualquer separação. Pois as escolhas são sempre dos pais, não dos filhos: separar-se, assumir novo parceiro ou parceira, que possivelmente trazem seus próprios filhos, tentando criar um novo tipo de relacionamento e forçado convívio, há de ser uma difícil e dolorosa gangorra emocional. Se pode resultar em crescimento e multiplicação de afetos, com boas lições de vida, pode também causar muita desagregação e infelicidade, muita solidão.
    Como agir para não prejudicar os mais importantes laços de qualquer pessoa, no caso de separação e novos casamentos? Não há receita nem espaço para julgamento. Mas lembro a velha fórmula das estradas de ferro: parar, olhar, escutar… a alma do outro também. Novas pessoas estarão envolvidas, novos feixes de emoção, novas tendências genéticas e conflitos psíquicos por vezes antigos, velhos costumes que agora se envolvem ou enfrentam estreitamente. É preciso conviver, e não machucar pessoas amadas. Culpas infundadas crescem como cogumelos, buracos traiçoeiros podem se abrir no chão fundamental sobre o qual caminhamos: o convívio natural, a família. As responsabilidades são enormes, e as tempestades do momento podem nos fazer esquecer isso, em casos que envolvem tantos problemas e dilemas. Tudo é um tatear no escuro da floresta das humanas necessidades e aflições. Num contexto de convívio e ruptura, no meio dessa tempestade por vezes longa, esperam-se posturas evidentes, mas nada fáceis: bom senso, bondade, capacidade de entender e observar, e desejo real de, apesar dos fatais desacertos, buscar para si e para os outros envolvidos o sofrimento menor.

    ___________________________________________________________________

    E agora , para finalizar a Crônica de J.R Guzzo , sobre o Hino Nacional ;

    ” Esse é o hino ”
    “A letra do Hino Nacional talvez nem seja pior que a média das letras dos hinos de outros países, em geral obcecadas por sangue, morte, canhões, tiranias e outros horrores”
    Se quatro em quatro anos, por ocasião das Copas do Mundo de futebol, milhões de pessoas pelo planeta afora têm a oportunidade de entrar em contato com uma das melhores realizações que o Brasil já foi capaz de pôr em pé – o Hino Nacional Brasileiro, tocado e transmitido globalmente antes do começo de cada jogo. É sempre um momento de sucesso garantido junto ao público. O time, no campo, pode ir melhor ou pior, mas o hino não falha nunca. Seus primeiros acordes já deixam claro para a plateia presente aos estádios que ela vai ouvir, nos instantes que se seguem, música de primeira qualidade no gênero; dali para a frente as coisas só melhoram. Ao se executar a última nota, todos os que prestaram atenção ao que estavam ouvindo ficam com a impressão de ter recebido um brinde inesperado antes do jogo: em vez da monotonia habitual dos hinos nacionais, em geral áridas arrumações de movimentos marciais que têm como característica mais notável o fato de parecerem todas iguais umas às outras, o que se ouve é uma das melodias mais vibrantes, calorosas e inspiradas que se podem escutar numa cerimônia oficial.
    Não há um momento sequer de tédio no Hino Nacional; tudo ali é energia, emoção e vigor. Com quase 200 anos de vida, a peça composta por Francisco Manuel da Silva em 1822 mantém intactas até hoje todas as qualidades que fizeram dela uma das composições mais bem-sucedidas na história da música brasileira. Escrita originalmente em homenagem à Independência, e oficializada como Hino Nacional Brasileiro após a proclamação da República, a obra de Francisco Manuel tem um longo histórico de aplausos. Louis Gottschalk, o grande compositor americano do século XIX, que morreu no Brasil em 1869 e tinha entre seus admiradores Chopin, Liszt e Berlioz, considerava-a um dos melhores momentos da criação musical de sua época; em sua homenagem, escreveu a celebrada Fantasia Triunfal sobre o Hino Nacional Brasileiro. É bom notar, também, que nas Copas do Mundo o Hino Nacional costuma ter competidores de primeiríssima linha, como agora – a começar, por exemplo, pelo extraordinário Deutschland Über Alles, o hino nacional da Alemanha, composto por ninguém menos que Joseph Haydn. Concorre, também, com grandes clássicos como o God Save the Queen, o hino não oficial da Inglaterra, e outros sucessos habituais como os hinos da Itália e dos Estados Unidos – isso sem falar na Marselhesa, da França, provavelmente o hino nacional mais conhecido do mundo. Não é fácil brilhar nessa companhia.
    Mas e a letra? Já se falou mal o suficiente da letra do Hino Nacional para que se ganhe alguma coisa insistindo no assunto. Sua linguagem, provavelmente, já era antiquada na época em que foi escrita, 101 anos atrás; é confusa, às vezes absurda, e muito pouca gente consegue decorá-la direito, mesmo porque muito pouca gente entende o que ela está dizendo. Mas isso não afeta a melodia nem embaça o gênio de Francisco Manuel – que, por sinal, já estava morto quase meio século antes de colocarem palavras em sua música. Além do mais, a letra do Hino Nacional nunca causou prejuízo a ninguém – e, francamente, talvez nem seja pior que a média das letras presentes em hinos de outros países, em geral obcecadas por sangue, morte, canhões, tiranias e outros horrores. O mais prático, portanto, é deixar tudo como está, antes que venha a ideia de adotar uma nova letra através de concurso público. Com certeza teríamos muita saudade, aí, do lábaro estrelado e dos raios fúlgidos.
    O que seria do futebol, principalmente em momentos de Copa do Mundo, se fosse proibido falar mal do técnico? Ou dos jogadores? E dos cartolas, então? O técnico Dunga acha injusto o tratamento que ele e sua equipe vêm recebendo da imprensa em geral; julga que tem sido visado porque acabou com entrevistas exclusivas, favoritismos em relação a este ou aquele veículo, “panelinhas” etc. Pode haver muito de verdadeiro nisso tudo, mas o problema é outro. Futebol é paixão, e a imprensa reflete a paixão da torcida – se ela aplica vaias selvagens aos seus próprios times, por que seria diferente com a seleção e seu técnico? Torcidas não são imparciais, e não esperam imparcialidade da cobertura esportiva. Não é justo, mas é o preço que Dunga e seus jogadores têm de pagar pela remuneração que recebem. Se vencerem, levam as batatas; se perderem, não levam. É a vida. Ao que parece, eles querem levar as batatas mesmo em caso de perda, por achar que têm “raça” e são “guerreiros”. Aí já fica difícil.

    ___________________________________________________________________

    E para fechar com chave de ouro esta é a trilha sonora oficial do dia e da crônica acima , me despeço desejando um excelente jogo para todos ;

    http://www.youtube.com/watch?v=ko360skJA9k&feature=related

    Beijinhos carinhosos !!!!!!

  11. Vera Paoloniem 20 jun 2010 �s 18:54

    Amigo querido,
    que emocionante e maravilhoso artigo. Replicado em muitos blogs e tuiters da vida.
    E tu, como estás?
    Saudades muitas,
    bjs

  12. Petraem 21 jun 2010 �s 06:08

    Bom dia , Dr. Maia !

    Peço sua licença para repassar um aviso que recebi de um amigo querido , serve sómente para mulheres no Rio de Janeiro , pode ajudar alguém .

    ___________________________________________________________________

    A Clínica de Enfermagem Arte do Cuidado da UNIVERCIDADE presta atendimento gratuito e está agendando para preventivo ginecológico.
    Qualquer mulher interessada deve ligar para os seguintes números:
    2219-8100/ 2233-8389 ramais 225/226.
    · Endereço: Av. Presidente Vargas, nº 2700. Praça XI, ao lado do prédio do Metrô, Rio de Janeiro.
    · Funcionamento: de segunda à sexta das 08h00min às 11h00min e de 19h00min às 22h00min, aos sábados de 08:00h às 11:00h.
    Também são realizados EXAMES LABORATORIAIS, tudo gratuito.
    Ajude a divulgar, há muitas mulheres que não tem essa oportunidade.

    ___________________________________________________________________

    Beijinhos carinhosos .

  13. Petraem 21 jun 2010 �s 07:46

    Dr. Maia , agora vamos ao Veríssimo , do dia ;

    ” Haja urubu ”

    Li que a Real Sociedade para a Proteção de Pássaros está preocupada com o declínio da população de urubus na África do Sul . Segundo uma velha crença fumar os miolos defumados de um urubu dá o poder de prever o futuro . Depois de alguns dos primeiros resultados surpreendentes nesta Copa , começando com a derrota da Espanha para a Suíça , teria aumentado o consumo de miolos de urubu e , consequentemente , diminuído a quantidade de urubus nos céus da África do Sul . Deve ser grande o numero de pesoas atrás do poder da clarividência para apostar em zebras ainda por vir . Depois que a Alemanha perdeu para a Sérvia , então , especula-se que tenha triplicado a demanda por miolos de urubu . O pior é que , como informa uma instituição chamada Truste de Espécies Selvagens Ameaçadas , setor aves de rapina , os urubus estariam sendo envenenados com substâncias que também fazem mal aos humanos . Assim , as inconstâncias desta Copa estariam ameaçando não apenas o prestígio de técnicos e jogadores consagrados como a população da África do Sul em geral , além do equilíbrio ecológico .
    Pode-se imaginar como cresceria a procura por miolos defumados de urubu se Brasil e Costa do Marfim também tivesse um resultado , digamos esdrúxulo . ( “Esdrúxulo” é a palavra mais esdrúxula da língua portuguesa e a única que descreveria um empate ou uma derrota do Brasil no jogo de ontem ). Seria um sinal de que literalmente qualquer coisa poderia acontecer nesta Copa , e alguém com a capacidade de ver o futuro e apostar no esdrúxulo faria uma fortuna . No primeiro tempo , andamos perto do impensável . A Costa do Marfim fez alguns ataques perigosos , enquanto que a única vez em que o Brasil entrou na área adversária foi no gol do Luís Fabiano . Mas aí aconteceu uma coisa curiosa : o Kaká se lembrou de como se joga futebol . Ele tinha esquecido . A cada bola que chegava nele , ele se perguntava ” e agora ? ” . Como é que se domina uma bola ? O que é , mesmo , um passe ? No segundo tempo , então , houve o estalo . Tudo que o Kaká sabia voltou de repente , e o time se modificou . O segundo gol do Luís Fabiano foi com a ajuda do braço , certo , mas se não foi legal , foi justo . O Brasil merecia . E o gol do Elano foi de uma jogada de força técnica pela beirada de área do Kaká , visivelmente eufórico por ter recuperado a memória .
    Não foi uma vitória animadora , mas pelo menos continuamos imunes ao esdrúxulo que ronda esta Copa . E , acima de tudo , o Brasil não contribuiu para o aumento da mortandade de urubus .

    ___________________________________________________________________

    Abraços e beijinhos muito carinhosos , recheados de saúde e paz !!!!
    Bom início de semana !!!!

  14. Petraem 21 jun 2010 �s 10:12

    Dr. Maia , reproduzo o que está escrito na página 26 da revista Època sobre saúde ;

    ” O Açaí pode se tornar um importante aliado naluta contra o câncer . Um estudo brasileiro mostra que a adição da polpa do açaí durante a fermentação do yogurte estimula a produção de um ácido que auxilia na prevenção de alguns tipos de câncer , como o colorretal , de estômago e de mama ” . Detalhes em epoca.com.br .

    ___________________________________________________________________

    P.S . Procurei no site recomendado algo sobre o assunto , mas nada encontrei .
    Talvez não tenha procurado direito ou no lugar certo .

    Beijinhos carinhosos .

  15. GABRIELLAem 21 jun 2010 �s 12:28

    Peço desculpas por vir só agora no blog e agradecer,não paro mais, estou com meu dia sem parar um minuto, mas é bom a mente fica ocupada.
    Voces não tem ideia como me ajudaram, e como estão me ajudando, já não estava mais acreditando em nada e nem nas pessoas.
    Mas voces me deram uma lição de vida, e realmente o que meu Pai sempre disse, a varig é uma família, o que voces fizeram por mim e minha família, nem mesmo uma parente fez.
    Só a confiança que dopositaram em mim, sem desconfiar em momento nenhum que poderia ser mentira, hoje exite tantas coisas acontecendo,agradeço do fundo de meu coração pela ajuda, pelas orações, por tudo, no pior momento encontrei anjos, estou muito emocionada o coração apertado mais de alegria.
    Omundo ainda não está perdido existem muitas pessoas boas, quero dizer que a partir de agora voces fazem parte de nossas vidas, cada um, serei grata para sempre,minha mãe disse que poderá contar sempre com ela e com suas orações.
    Voces não tem como saber o bem que fizeram a ela,eu ainda não conssegui resolver, mais hoje eu sou outra pessoa, mais forte, acreditando mais, não desconfiando , voces me ensinaram isso.
    Não desconfiando quando eu pedi ajuda,suas orações estão me fortalecendo,vou conseguir,estamos como em casamento, na saude e na doença, na alegria e na tristeza, voces são muito especiais, vou continuar na luta, pedi ajuda até no SNA, na Aprus, eles pediram para eu ficar sócia e depois vão ver o podem fazer.
    Falei com sr. Nelson ele conheceu muito meu pai, o tempo está passando muito rápido e eu ainda não encontrei um lugar,mais vou conseguir continem com suias orações e quem puder ainda me ajudar eu agradeço.
    Dr. Maia não o conheço, mas desde que minha mãe soube que o sr. ficou doente ela sempre pediu muitas orações e colocou seu nome.
    Hoje eu seu que pessoa especial realmenrte o sr. é, neste espaço que o sr. me deu eu conheci pessoas maravilhosas, que me enviaram mensagens orações, dinheiro,me enviaram alegria de viver, eu já havia me esquecido.
    Que Deus e seus anjos estejam sempre ao llado de voces, iluminando, nunca irá faltar orações e carinho para voces todos.
    Realmente eu estou muito emocionada, não dá para continuar, virou um rio meu computador.
    Obrigado, que Deus lhes abençoe a cada um, que multiplique, triplique sua ajuda, que nunca lhes falte nada,fiquem com Deus.
    Dr. Maia este obrigado é transbordando de carinho.
    .

  16. GABRIELLAem 21 jun 2010 �s 13:19

    Aprendi;
    Que não se espera a felicidade chegar,mas se procura por ela;
    Que quando penso saber de tudo, ainda não aprendi nada;
    Que a antureza é das coisas mais belas do mundo;
    Que só um dia pode ser mais importante que muitos anos;
    Que se pode conversar com as estrelas;
    Que se podefazer confidencias com a lua;
    Que ouvir uma palavera de carinhofaz bem à saúde ;
    Que sonhar é preciso;
    Aprendi que se aprende errando;
    Que o silêncio é a melhor resposta quando se ouve uma bobagem;
    Que amigos a gente conquista mostrando o que somos;
    Que verdadeiros amigos ficam com voce atá o fim;
    Que se deve ser criança a vida toda;
    Que nossa alma é livre;
    Que o que realmente importa é a paz interio;
    Aprendi que se pode conhecer bem uma pessoa da forma como ela lida com três coisas:
    Um dia chuvoso,uma bagagem perdida, e fios de luzes de natal embaraçados;
    Aprendi que não importa o tipo de ralacionamento que tenhacom seus pais, voce sentirá muita falta deles quando partirem;
    Aprendi que saber ganhar a vida não é a mesma coisa de vive-la;
    Aprendi que a vida as vezesnos dáumasegunda chence;
    Aprendi que vivernão é só receber é também dar;
    Aprendi que se voce procurar a felicidade vai se iludir.Mas se focalizar a atenção na família, nos amigos, nas necessidades dos outros, no trabalho, procurando fazer o melhor, a felicidade vai encontra-lo;
    Aprendi que sempre que decido aalgo com o coração aberto, geralmente acerto;
    Aprendi que preciso diariamente preciso alcançar alguem tocar alguem;
    As pessoas gostam de um toque humano,segurar uma mão firme, dar um abraço bem forte;
    Aprendi que ainda tenho muito que aprender;
    As pessoas se esquecerão do voce disse;
    Esqueceraão do que voce fez;
    Mas nunca esquecerão de como voce as tratou;
    E finalmente aprendi que não precisa morrer, para aprender a viver.
    Este poema é para voces, que me ajudaram na hora mais triste da vida, eu aprendi com voces, obrigado.

  17. O ANARQUISTAem 21 jun 2010 �s 23:02

    Grande escritor e grande sonhador por sua convicção de comunismo humanitário, um pensamento voltado ao bem estar de todos, beirando quase aos ideais anárquicos (a semelhança do pensamento humanitário e a total aversidade à igreja), só não contava com a postura autoritária dos comandantes comunistas, os quais acabaram sucumbindo nos ultimos anos do século passado. Uma coisa não me agrada no Saramago, a redundância portuguesa, ela agride (pelo menos para mim). Quanto ao capitalismo não necessitar provar mais nada, ele não tem o que provar, está claro que não é o melhor regime para dirigir o mundo. Bom seria se todos pudessem de tanto em tanto tempo, por meio de referendo popular escolher um novo regime de governo, acho que os governantes seriam mais sérios nas suas gestões pois a mudança de regime seria como uma cassação de mandato em bloco.

  18. Petraem 22 jun 2010 �s 03:41

    Bom dia , Dr. Maia !
    Cá estou eu novamente no meu plantão da madrugada .
    Me lembrei de postar este passeio no tempo e na história recente do Brasil .
    Divirtam-se ;

    Todas as edições da revista VEJA.

    Este é um Link de acesso à todas as revistas Veja, editadas pela Abril nesses últimos 40 anos. Da capa à contra-capa, incluindo todas as páginas.
    É um trabalho impressionante e creio que servirá como fonte de consulta e
    garimpagem de dados para efetivação de eventuais trabalhos de pesquisa.
    Todas as edições de VEJA poderão ser consultadas na íntegra na web A
    revista VEJA abre todo o seu acervo de 40 anos de existência na internet.

    Todas as edições poderão ser consultadas na íntegra em formato digital no
    endereço

    http://veja.abril.com.br/acervodigital/

    A revista liberou o acervo em comemoração ao seu aniversário de 40 anos.
    A primeira edição de VEJA foi publicada em 11 de setembro de 1968..
    O sistema de navegação é similar ao da revista em papel: o usuário vai
    folheando as páginas digitais com os cliques do mouse..
    O acervo apresenta as edições em ordem cronológica, além de contar com um
    sistema de buscas, que permite cruzar informações e realizar filtros por
    período e editorias.
    Também é possível acessar um conjunto de pesquisas previamente elaborado
    pela redação do site da revista, com temas da atualidade e fatos
    históricos.
    Com investimento de R$ 3 milhões, o projeto é resultado de uma parceria
    entre a Editora Abril e a Digital Pages e levou 12 meses para ficar
    pronto. Mais de 2 mil edições impressas foram digitalizadas por uma
    equipe de 30 pessoas. O banco Bradesco patrocinou a iniciativa.

    Beijinhos carinhosos .

    P.S. Gabriella , fiquei feliz em saber , que de alguma maneira teu fardo ficou um pouco mais leve . Acredite sempre .
    Beijinhos carinhosos para voce e sua mãe .

  19. Petraem 22 jun 2010 �s 04:13

    Já que hoje tem jogo da Argentina novamente , vai um comercial genial que une as duas paixões de ” los hermanos ” …

    http://www.youtube.com/watch?v=Dx1xhNhRHF8

    Beijinhos carinhosos .

  20. Petraem 22 jun 2010 �s 08:53

    Mais uma vez , bom dia , Dr. Maia !

    Bem que eu achei estranho nenhuma palavra do Veríssimo a respeito da morte de Saramago , agora está explicado …

    ” Saramago ” ?

    Se dependesse apenas da imprensa sul-africana – ou, para não generalizar injustamente , dos jornais que tenho lido – eu nunca ficaria sabendo da morte de Saramago . Não vi nada a respeito , aqui .
    Leio principalmente o ” Star ” , de Johannesburgo , que parece ser o maior e o mais sério , em contraste com a maioria de tablóides sensacionalistas no estilo inglês . E , mesmo no ” Star” , as notícias internacionais são escassas .
    É uma imprensa mais paroquial do que a brasileira . Se bem que – de novo , para não ser injusto – não tem sobrado muito espaço nos jornais sul-africanos para outro assunto que não a Copa e as agruras e esperanças da seleção nacional . Saramago ? Em que time ele joga ?
    O assunto do momento é a segunda Revolução Francesa , o motim dos jogadores da França , os sem – culotes , contra a aristocracia , a chefia da seleção . A insubmissão não é irreversível , nenhuma bastilha ainda foi atacada , mas reina o caos entre os franceses . Tudo teria começado quando o jogador Anelka se referiu pouco diplomáticamente à suposta profissão da mãe do técnico Domenech no vestiário , e a notícia vazou . A revolta dos jogadores é contra o vazamento e em solidariedade ao Anelka , que foi mandado embora . Minha teoria é que a causa de tudo é a maldição irlandesa . Depois que aquele gol feito com a mão pelo Thiery Henry desclassificou a Irlanda e classificou a França para as finais da Copa , os franceses vivem sob uma praga de perdedores . A Irlanda é um país de conhecida tradição mística . Todos os seus deuses e demônios foram mobilizados contra a França , e são os responsáveis pelo caos . ou então , a explicação psicológica : desde a mão do Henry , a França convive com um sentimento de culpa paralisante . Eles querem ser castigados . Querem ser purgados pelo vexame .

    As posições políticas e anti -religiosas do Saramago não eram mais importantes do que sua literatura , mas foram mais discutidas . Ele tinha toda a razão em culpar a irracionalidade religiosa por muitos dos males do mundo , como a guerra entre o monoteísmos que á séculos inquieta a humanidade . Para defender o ateísmo do Saramago , convoco outro ateu controvertido , o filósofo Bertrand Russel . que , num trecho citado por George Steiner num livro que eu trouxe para ler entre os jogos e as entrevistas do Dunga , diz :

    ” Frequentemente penso que a religião , como o sol , extinguiu as estrelas com menos fulgor , mas não menos beleza , que brilham sobre nós das trevas de um universo sem deus . O esplendor da vida humana , tenho certeza , é maior para aqueles que não se deixam ofuscar pela irradiação divina ; e o congraçamento humano parece se tornar mais íntimo e terno com o sentimento de que somos todos exilados numa mesma praia inóspita ” .

    ___________________________________________________________________

    E emendamos com as considerações de Bruno Mazzeo ;

    ” A TPM que não passa ”

    Pronto . Já formei minha opinião : acho o Dunga um mala . Mala no sentido mais possível da expressão . Sem alça . De papelão em dia de chuva . Práticamente um contêiner . Não cabem aqui críticas ao seu trabalho , muito já se falou disso e todo mundo sabe que a caminhada rumo ao hexa vai ser com um Felipe Melo aqui , um Josué acolá . Falo da sua postura . Arrogante , prepotente e, no mínimo , mal-educado . Não necessáriamente com os jornalistas que fazem as perguntas e considerações que tanto o deixam irritadinho , mas com o público , os torcedores brasileiros que querem e têm o direito de ouvir suas considerações , por mais idiotas que possam ser .
    Uma das mais perfeitas expressões populares é ” não sabe brincar , não desce pro play ” . E Dunga não só não sabe brincar , como ainda recolhe os brinquedos quando perde . Como uma crianças mimada . Não me lembro de nenhum técnico de seleção que não tenha sido questionado , ainda mais se tratando de um país onde todos são técnicos . Seja a falta de ponta do Telê ou a retranca do Parreira , nunca houve uma unanimidade . Nem vai haver . Até mesmo Zagallo , o maior vencedor de todos , teve que berrar para ser engolido . Cabe ao questionado usar argumentos para explicar suas decisões . Como fez o Filipão falando o porquê de deixar o Romário de fora , quando todo o Brasil clamava pelo Baixinho . Concordando ou não , era uma explicação , um raciocínio , uma lógica . respeita-se e pronto .

    Dunga não aceita críticas e nem justifica nada . Em vez de argumentos , usa sua cara de mau , seus erros de concordância e – mais recentemente – um ou outro palavrão . Me parece que o rancor pelas críticas surgidas em 90 , começo da era Dunga , ainda não foram superadas . Ficaram impregnadas dentro dele , como se tivesse eternamente que provar alguma coisa . Ora , isso já passou . Ou deveria . Logo na Copa seguinte , quando virou capitão , líder e, com toda a justiça ergueu a taça . Ali as bocas já tinham sido caladas . Ele continuou xerife da seleção , respeitado e mesmo admirado pelos torcedores . Encerrou a vitoriosa carreira de jogador e , ao começar a de técnico , trouxe de volta a raivinha .

    Claro que a responsa por ter contrariado a nação com sua convocação mediana tem um preço. Nem que seja o de críticas . Até voltar com o hexa e calar a boca de todo mundo . E essa é a resposta que queremos . Porque , quando a bola rola , todo mundo esquece que o Felipe Melo tá ali e torce como se fosse o Ganso . Assim como ninguém mais fica enchendo o saco do Felipão por ele ter preterido Romário . Preço que ele ia pagar caso não ganhasse o título . Como Parreira pagou na última Copa com a insistência nos veteranos que arrumavam meiões e não tinham comprometimento .

    Que TPM é essa que não passa nem depois de uma vitória “convincente ” contra a Costa do Marfim ? As aspas foram minhas , porque , a mim não convenceu tanto . Desculpe o mau humor . Acho que baixou o Dunga por aqui .
    Continuo achando o time brasleiro assim assim . Mas como é assim assim a Copa , temos chances de voltar com a taça . E Elano , com dois gols em dois jogos , é a consagração do jogador mediano .
    Acho que foi Camarões , em 90 , a primeira seleção africana a encantar o mundo com sua alegria . Depois vieram Nigéria e até mesmo Senegal . Os africanos viraram o América , o segundo time de todos nós . Mas de um tempo pra cá , não só esqueceram a alegria , como passaram a usar a raiva . O que fizeram os jogadores da Costa do Marfim contra o Brasil foi revoltante . Se fosse no Maracanã , sairiam de campo aos gritos de ” timinho ” . É a globalização da Era Dunga .

    Totalmente injusta a expulsão do Kaká . Não houve nenhum revide , nenhuma peitada , nada . Ele simplesmente vacilou ao não ficar invisível para deixar o cara passar . Ou talvez tenha sido o fato de ele ter xingado o zagueiro africano de ” cabeça de melão ” .
    Que golaço o do Luís Fabiano , hein ? Por mais que tenha sido um gol(aço) de pelada , levou até o juiz a abrir uma licença poética e fingir que não viu seus toques de mão . Um gol daqueles não merece ser anulado .

    Só não foi mais bonito do que o do Vivinho . Lembra ?

    ___________________________________________________________________

    Abraços e beijinhos mais que carinhosos , bons jogos , e até mais.

  21. Petraem 22 jun 2010 �s 09:48

    Eu não sabia que o meu ” até mais ” acima , era um : até já . Ao ver este filme do Pelé , que me emocionou muito , por conhecer a doce criatura que é Pelé ( incansável em dar autógrafos , fazendo questão de ficar no avião , atrasar seu desembarque só para dar autógrafos para todo o pessoal da Sata ( limpeza) , não esquecendo o gentleman que também Carlos Alberto Torre sempre foi conosco á bordo dos nossos aviões , nos últimos anos da Varig , ele foi meu passageiro assíduo enquanto treinador do Azerbaijão , a sua conexão para voltar ao Brasil era via Frankfurt , minha rota dos últimos anos de vôo .
    Chega de falar e vejam que emocionante este filme ;

    http://www.youtube.com/watch?v=GF3x6UmOfS0

    Beijinhos carinhosos .

  22. Neriaalvesem 22 jun 2010 �s 14:30

    Petra, boa tarde!
    Como voce está sempre informada de todos os assuntos, será que voce tem alguma novidade sobre o AERUS? Por favor me informe. Como todos estou ansiosa sobre novas notícias.
    Obrigada,

  23. Petraem 22 jun 2010 �s 16:44

    Oi Neria !
    Infelizmente sobre o assunto que mais nos interessa e do qual depende nosso futuro e sobrevivência , não tenho notícia nenhuma .
    Só posso retransmitir o boletim e junho do Aprus , mas que na realidade não contém nenhuma novidade para nós …

    NOTÍCIAS DA APRUS
    A APRUS, juntamente com as Comissões Estaduais, encaminhou um documento específico aos representantes da CUT, em todos Estados Brasileiros, para que estas centrais venham levar ao Presidente da CUT Nacional, Sr. Arthur Henrique, uma exposição da nossa causa, para que ele abrace, junto conosco, a nossa luta mediante a grande proximidade dele com o Presidente da República, com o principal objetivo de sensibilizá-lo, mais uma vez, para ver se encontramos uma solução definitiva para o nosso problema.
    Abaixo, na íntegra, o documento enviado AOS REPRESENTANTES DA CUT EM TODO BRASIL:
    “Prezados senhores,
    Somos Aeronautas e Aeroviários que contribuíram durante muitos anos para os Fundos de Pensão AERUS (VARIG/TRANSBRASIL e AEROS (VASP).
    O Fundo de Pensão AERUS foi instituído por VARIG e TRANSBRASIL, tendo como fontes de custeio, a contribuição dos trabalhadores; 3% das passagens aéreas vendidas no território nacional durante 30 anos e, recursos de empresas patrocinadoras. Todas as projeções e cálculos atuariais elaborados quando de sua instituição no ano de 1982, tiveram como base estas três fontes.
    Os trabalhadores tinham sua contribuição descontada em folha, portanto, contribuíram mensalmente.
    Os 3% das passagens aéreas foram cancelados após nove anos, pela DAC, sem qualquer verificação atuarial. As empresas não repassavam suas contribuições e renegociavam suas dívidas. Foram vinte e uma repactuações com a VARIG e oito com a TRANSBRASIL.
    No caso do AEROS, além da VASP não repassar sua contribuição, o Fundo ainda fazia empréstimos à empresa o que é proibido por Lei.
    Tudo isso aconteceu com a aprovação da Secretaria de Previdência Complementar, órgão da União encarregada de fiscalizar os Fundos de Pensão. Tais fatos levaram esses Fundos de Pensão à total falta de liquidez e em conseqüência, a suas liquidações.
    Os únicos atores que cumpriram com suas obrigações, os trabalhadores, foram os mais cruelmente prejudicados. Hoje as complementações de aposentadorias e pensões do AERUS, estão reduzidas a 8% do valor a que tinham direito e, os beneficiários correm sério risco de nada mais receberem. Os oito mil aposentados e pensionistas, que julgavam com sua contribuição estarem garantindo uma aposentadoria digna, hoje, idosos e doentes, passam muitas privações e humilhações, não tendo sequer condições de pagar um plano de saúde ou comprar remédios. Aproximadamente nove mil ex-funcionários da VARIG, que têm suas poupanças retidas no AERUS e não receberam seus direitos trabalhistas, terão sua situação regularizada, se tudo normalizar-se.
    Encontrando-se no Judiciário, ações relacionadas no drama que os acometeu e que envolvem a União, tais como: defasagem tarifária movida pela VARIG – devido congelamento de tarifas no ano de 1985 – e dada em garantia de suas dívidas com o AERUS, a Ação Civil Pública que obriga a União a pagar as aposentadorias e pensões, no valor recebido na data da Intervenção e Liquidação extra-judicial, e a Ação da terceira fonte (3%), as esperanças de solução do problema que aflige estas pessoas foram renovadas quando, há cerca de um ano, a Advocacia Geral da União, por solicitação do Presidente do STF, aceitou coordenar um ACORDO, envolvendo essas ações e que pudesse, enfim, acabar com tanto sofrimento.
    O desespero, entretanto, tomou conta de todos quando, após um ano, este acordo não se realizou e no julgamento do Agravo Regimental da SL 127, remeteu-se novamente a decisão do Judiciário. Esta Ação Civil Pública encontra-se na 14ª do TRF1, aguardando autorização de perícia, para prosseguir. Ainda neste julgamento, a maioria dos Ministros do STF concordou em aceitar o que for decidido no julgamento em primeira instância, devido ser um grupo de idosos vivendo em situação de penúria.
    Estes idosos não têm mais condição de esperar o julgamento dessas ações. As decepções, acumuladas no ocaso da vida tem levado, antecipadamente, muitos participantes do AERUS num porcentual cerca de 40% maior que o usual, desde o início da Intervenção/Liquidação. Em breve a situação agravará, pois o AERUS não terá mais qualquer recurso a distribuir. Trata-se de uma calamidade. Essas pessoas não terão mais do que viver.
    O tempo urge. Temos que encontrar, o mais rápido possível, uma solução definitiva, a única saída que podemos vislumbrar como mais rápida, é o Governo encaminhar e assinar o ACORDO, tendo como respaldo as ações em andamento.
    As diversas entidades envolvidas neste processo, FENTAC (Federação Nacional Dops Trabalhadores em Aviação Civil), SNA (Sindicato Nacional dos Aeronautas), APRUS (Associação dos Participantes e Beneficiários do AERUS) e Comissões constituídas em diversos Estados, encaminharam às autoridades governamentais diversas propostas que demonstram ser possível um acordo sem grandes dispêndios imediatos do Governo.
    Temos certeza que a equipe do Governo já tem vasto material sobre este assunto e reúnem condições de, em curto prazo de tempo, elaborar um ACORDO que preserve a União e ponha um fim no sofrimento dessas pessoas.
    Diante do exposto acima, solicitamos o auxílio à CUT, organização sindical brasileira, cujo compromisso, é a defesa dos interesses imediatos e históricos da classe trabalhadora e, que ao longo dos anos vem buscando exaustivamente, cumprir tal compromisso histórico. Por ser baseada em princípio de igualdade e solidariedade, representando o coletivo e privado, tornando assim a sociedade mais justa e democrática.
    Já entregamos e protocolamos nos órgãos pertinentes, dois documentos reivindicatórios, assinados por milhares de cidadãos, procurando sensibilizar as Autoridades. Dezenas de Parlamentares têm feito eco ao nosso grito de socorro. Já a imprensa, por vezes, se manifesta timidamente. A CUT, portanto, pode também manifestar-s e e incentivar à AGU a celebrar com celeridade, o ACORDO que de imediato eliminaria as dificuldades que estamos enfrentando a mais de quatro anos.
    Desde já agradecemos, por tudo que possam realizar por nós, para que finalmente a justiça seja feita.

    Atenciosamente”.
    (Assinam): APRUS, Comissão Aerus RS, Comissão Aerus SP, Comissão Aerus PE, Comissão Aerus SC, Comissão Aerus BA e APAP (Aposentados e Pensionistas do Aerus no Paraná).
    ———————————————————————————————————————————————————————-
    PORQUE O ACORDO DO AERUS É POSSÍVEL
    (Postado pelo Dr. Maia sob Geral)
    I.– A Folha de Pagamento do AERUS, mensal, hoje é de cerca de 26 milhões de reais. Isso dá cerca de 338 milhões ao ano. Há o valor relativo ao pagamento das provisões matemáticas individualizadas do pessoal da ativa, ou seja, dos não assistidos, que deve ultrapassar os 600 milhões.
    II.- O Acordo é possível, necessário, e absolutamente viável. De um lado, há duas ações contra a União: a ação civil pública, que movemos, que contou com duas decisões favoráveis de desembargadores federais; e há a ação de defasagem tarifária movida pela VARIG. O que eventualmente a VARIG vier a obter é garantia do AERUS até o limite reconhecido no Plano de Recuperação Judicial.
    III. – Já demonstramos ao governo que tão somente com o pagamento de juros de 8% sobre o valor hipotético de 4,5 bilhões, seria possível honrar esses valores. Assim, seria possível que simplesmente a União assumisse os valores relativos aos benefícios, pagasse as reservas dos ativos, sem que precisasse desembolsar os valores. Como se trata de um plano fechado, a tendência é a diminuição da folha de pagamento.
    IV. – Mas há mais. O AERUS tem LIQUIDEZ para pagar DOIS ANOS DE BENEFÍCIOS, ou cerca de 800 milhões de reais. Significa dizer: para pagar as aposentadorias e pensões, a União NÃO PRECISA COLOCAR DINHEIRO NOS PRÓXIMOS DOIS ANOS.
    V. – E mais: os planos em liquidação têm patrimônio para suportar ainda mais alguns meses após esses dois anos. Até lá, é possível converter esse patrimônio restante em liquidez, ou tão somente fornecer liquidez até o limite do patrimônio.
    VI. – Ou seja, durante os primeiros dois anos e pouco NÃO É NECESSÁRIO colocar dinheiro novo no que se refere ao pagamento dos assistidos. Em alguns meses seguintes, seria necessário CONVERTER O PATRIMÔNIO EM LIQUIDEZ, o que pode ser feito via adiantamento de liquidez da União até o limite do patrimônio.
    VIII. – É possível um acordo onde, no que se refere aos assistidos, DURANTE MAIS DE DOIS ANOS não aja aporte de recursos da União. Há liquidez para DOIS ANOS, há patrimônio para mais alguns meses após isso. Somente a partir do final do quarto ano seriam necessários os recursos. E esses recursos viriam dos juros sobre o principal, ou seja, sobre o total da dívida.
    VIII. – É por isso que o acordo é possível, é viável, ainda mais quando se tem presente uma conjuntura econômica onde o governo ajudou pesadamente os bancos, assim como ocorreu no exterior, ajudou também seguradoras. E mais: é por isso que o acordo é de fácil celebração. Todo exercício para tirar o peso da União foi feito, para permitir que a dívida seja paga no tempo, para permitir até mesmo que haja uma espécie de “carência” nos aportes da União – o patrimônio remanescente do AERUS permitiria isso. Tudo isso foi feito, tudo está sobre a mesa. Não há motivo legal, não há motivo ético, não há motivo prático, não há motivo humano para não celebrar o acordo. Não há motivo orçamentário. Tem-se a nítida possibilidade de salvar milhares de vidas. Tem-se a possibilidade de um acordo histórico, a depender exclusivamente do Governo.
    IX. – (Item não pertinente)
    X. – O acordo é possível. Do ponto de vista da União, o acordo é viável, possível, desejável. É a melhor forma de administrar o bem público, evitando se expor a uma condenação que pode resultar na saída brusca de recursos do Tesouro. É a forma, também, de dar um tratamento minimamente igualitário aos aposentados em relação ao que foi feito com os bancos e seguradoras – as instituições que obtiveram socorro do governo para cobrir sua quebra decorrente de irresponsáveis apostas no cassino financeiro.

    ——————————————————————————————————————————————————-
    UMA NOTA: Como anunciamos no INFOAPRUS de maio, era nossa intenção enviar através da Internet o ESTATUTO DO IDOSO e um exemplar àqueles que não são internautas, mediante a solicitação, porém, devido ainda não havermos recebido os citados exemplares, estamos transferindo este serviço, se possível, para o próximo mês.

    ___________________________________________________________________

    Beijinhos carinhosos , na esperança de em breve termos boas novidades , e não só me refiro ao futebol …
    Por enquanto vamos nos divertindo com Veron, Messi e não esquecendo o principal personagem desta ópera bufa : Don Diego Maradona …

    Deixo uma música da qual eu gosto muito , é da banda Genesis , banda que lançou Phil Collins , ‘ We can´t dance ” , título que vem bem a propósito da sua pergunta , nós não sabemos dançar , como jamais vamos dançar …
    Eu acredito !!!!
    Só sinto falta de Paizote , Roberto Haddad e SG Pinheiro , por onde andam voces ????
    Comentários do Dr. também estão escassos , mas também com tão pouca frequência …
    Divirtam-se com o balanço do Genesis ;

    http://www.youtube.com/watch?v=5S-ZrxBkqKU

  24. Petraem 22 jun 2010 �s 16:55

    A música sugerida no comentário anterior ” I Can´t Dance ” foi retirada do Youtube por questões de direitos autorais , e e é tempo de São João , de forró , ficamos com ela .
    E fico devendo a do Genesis , fica para outra hora .
    Beijinhos carinhosos .

  25. S.G.Pinheiroem 22 jun 2010 �s 22:16

    .

    Oi Petra !

    Continuamos por aqui, um olho na copa outro no blog, embora sabendo,
    que possibilidades de notícias novas só depois da copa. E essa notícia será:
    ” Nós conseguimos !!! ”

    .

Trackback URI | Comments RSS

Deixe uma mensagem.